Pratto argentino, tricolor de qualidade

Olé! Olé! Olé!

Opa, desculpa! Estava gritando olé junto com a imensa torcida tricolor agora no fim do jogo que nem senti que já estava escrevendo a crônica do jogo de hoje.

Que lindo! Que espetáculo! Desde 1930, o São Paulo nunca decepciona este gato que vos escreve. Hoje é um exemplo para a história.

Falaram no Twitter que o Cuca desejou sorte para o Rogério Ceni, mítico treinador. Teoricamente, ele teria dito: “Calma que um dia dá certo”. Pois é. O dia é hoje.

Fazia tempo que não tínhamos um meio-campo dominante, jogando em cima de cada tentativa deste Palestra Itália displicente. Com o nosso toque de bola, fomos longe e não se viu outra coisa que não fosse o Tricolor Paulista em campo.

E o ataque? Pelas três cores, como joga esse Pratto. Honrando as tradições de argentinos craques no São Paulo desde Sastre. Um gol dele e outro feito pelo Luiz Araújo com assistência dele, ambos no segundo tempo com direito a mais falhas de Prass, herdeiro de borboletagem de Marcos.

Entre os nossos dois gols teve um penal mequetrefe para os alviverdes. Renan Ribeiro só olhou a bobagem do palestrino mandando a bola para as alturas.

É isso. São Paulo 2 x 0 Palmeiras. Gostou do Pratto do dia, freguês? Volte sempre, pois são 15 anos de bom atendimento no Morumbi!

Saudações eufóricas são-paulinas!

Comente aqui...

comentário