Renan Ribeiro e seus pares de braços

Renan, o Ribeiro do gol

O torcedor são-paulino sabe valorizar um grande goleiro. Um torcedor são-paulino como eu, que existe antes mesmo da invenção do clube, mais ainda. Eu vi grandes tricolores vestirem o manto de guardião das nossas metas. Roberto Gomes Pedrosa, King, o inesquecível argentino José Poy, Valdir Peres, Zetti, Rogério Ceni. Todos esses e muitos outros fizeram história no São Paulo jogando no gol. Renan Ribeiro, de certo, pode ser o próximo.

Apesar do triste empate em casa, contra o Fluminense, no último domingo (25), não me aguentei. Sai feliz do estádio tal como um filhote de gato por saber que, pelo menos, a meta do Clube da Fé está segura. Em um jogo onde o Fluminense foi melhor, Renan Ribeiro se destacou mais ainda.

No primeiro tempo, o observei bem com os meus olhos felinos. Parecia que ele teria pouco trabalho, pois o São Paulo abriu o placar logo aos seis minutos com Jucilei. Ledo engano. Isso só fortaleceu aquele Três Cores – Tricolor de verdade, só o Paulista, amado clube brasileiro – do bairro carioca das Laranjeiras. O Fluminense dominou o jogo, mesmo estando 1 a 0 para a gente em pleno Morumbi.

O gramado do Morumbi viu uma avenida chamada Araruna. E nela o avanço da fidalguia carioca foi gigante. Um, dois, três ataques até que Henrique Dourado ficou finalmente cara-a-cara com o nosso goleiro. E, Renan Ribeiro, como um gato – não eu, mas aquele que grita no Fantástico – defendeu a bola nos pés.

Só que aos trinta e oito minutos do primeiro tempo, o mundo parou. Tal como uma versão masculina de Shiva, a meta tricolor foi dominada por múltiplos braços de um único guarda-redes.  Usando a Avenida Araruna, Léo veio da esquerda e mandou a bola para o chamado segundo pau. Ele, Henrique Dourado, ídolo do Cartola FC, chutou de pé direito. Defesa 1 de Renan Ribeiro.

A bola sobrou para Calazans que chutou à queima-roupa. Defesa 2 de Renan Ribeiro.

Calazans novamente. Lugano tira. Afinal, Renan Ribeiro também não precisa estar em todas.

Bicicleta de Calazans. Defesa 3 de Renan Ribeiro e apito do árbitro e parecia um aplauso.

Eu sei que o Fluminense fez o gol de empate aos seis minutos do segundo tempo, mas para mim, o jogo só teve trinta e oito minutos. Após esse lance fantástico não tinha mais razão de ver futebol. O jogo entrou em nirvana. Que venha o Flamengo no próximo domingo, dia 2 de julho! Estamos sem time, mas temos Renan Ribeiro.

Galo vence São Paulo no Morumbi e busca sequência de vitórias

Foto: Bruno Cantini / Atlético

O Atlético derrotou o São Paulo ontem no Morumbi por 2 a 1. Cazares e Rafael Moura marcaram e deram a vitória ao alvinegro. O time de Roger marcou bem as saídas de bola do adversário. Não é fácil vencer o São Paulo em casa.

No esquema proposto por Roger, os dois volantes ficaram mais presos, Elias pode ficar mais solto e mais à frente. Cazares fica por conta de armar as jogadas e Robinho mais próximo ao centroavante. Por falar em Cazares, foi ele que abriu o marcador no Morumbi. Gostamos muito do futebol dele. O rapaz joga muito e fácil e bem. Se ele concentrar, vai ter regularidade nos jogos e será titular com certeza. Somos fans desse cara.

Outro destaque na partida foi o jogador Alex Silva, ele marcou firme e mostrou habilidade em alguns lances. Foi um dos responsáveis por desarmar o São Paulo e impedir que ampliassem o placar.

Não podemos esquecer do Rafael Moura, nosso He-man, responsável pelo segundo gol alvinegro. Não podemos dizer que foi o melhor jogo dele, mas mostrou muita raça em campo. Esse é o diferencial: o amor pelo Galo. No lance do segundo gol também teve a participação do nosso querido Luan. O Luan entrou pilhado, esse é atleticano, dá gosto de ver a vontade desse garoto. Ele entra 100% ligado. XÔOOOOO LESÕES!!!!

O Atlético segue menos pressionado para o jogo dessa quarta-feira, amanhã, no Horto, contra o Sport. Mas ainda precisando dessa estabilidade de vitórias em jogos com times menos talentosos. Vamos embalar GALO!

Saudações Alvinegras!

#paixãodopovo

Galo conquista primeira vitória no Brasileirão com gol de Fred

Foto: Bruno Cantini / Atlético

 

Na noite de ontem (7/6), o Atlético derrotou o Avaí por 1 a 0 no Horto. Essa é a nossa primeira vitória no Brasileirão. Na verdade, eu esperava um placar mais elástico. O Galo tem um time melhor que o do Avaí. Porém o adversário não facilitou em nada o jogo, foi valente o tempo inteiro.

Logo no começo do jogo, Victor fez o primeiro dos três milagres da noite. Em apenas 2 minutos de jogo, o goleiro defendeu o chute de Juan. Aos 16 minutos do primeiro tempo, Alex Silva recebeu a bola de Robinho e cruzou para Fred que subiu mais alto que a zaga, terminando a jogada com a bola nas redes. Galo 1 a 0.  Antes do gol Valdívia havia perdido duas boas oportunidades ao 5 e 12 minutos. Placar parcial merecido, pois levou mais perigo que o Avaí.

No segundo tempo, o Galo retornou com uma alteração: Rodrigão no lugar de Gabriel que saiu por sentir dores musculares. Aos 14 minutos, Rafael Moura entrou no lugar de Fred e aos 21, Marlone no lugar de Robinho. Nada muito emocionante. Opa, peraí! Teve emoção sim. Victor fez mais duas defesas SENSACIONAIS!!! O maior problema continua sendo o meio de campo que não consegue criar e lançar bolas para os atacantes. Os atacantes ficam isolados, isso quando não voltam para ajudar a defesa. Conseguimos os 3 pontos, nossa primeira vitória no campeonato e saímos do Z4. O próximo jogo será contra o Vitória, na Bahia. Estamos confiantes que, se o time continuar evoluindo, vamos conseguir mais 3 pontos na casa do Vitória. Seguimos acreditando!

Vai pra cima deles Galooo!

Saudações Alvinegras!

#paixãodopovo

 

Galo segue sem vencer no Brasileirão

 

Foto: Bruno Cantini / Atlético

Em um jogo equilibrado o Atlético empatou com o Palmeiras em 0 a 0 no estádio Allianz Parque, em São Paulo. Empatar com o Palmeiras e Flamengo não é um resultado ruim, ainda mais sendo esses times mandantes. São equipes fortes e candidatos ao título mesmo que não ocupem no momento as primeiras colocações. O problema foi perder para o Fluminense e empatar com a Ponte Preta ambos em casa.

Roger não pode contar com Marcos Rocha, Elias e Adilson. Na lateral colocou Alex Silva. Ele mandou bem! Jogou seguro e marcou bem o adversário. No meio, Roger entrou com Rafael Carioca, Yago, Otero e Cazares. Essa composição do meio de campo deixa muitos espaços vazios e cai um pouco a qualidade. Nessa hora, bate uma saudade do Elias… Ele cobre esses espaços, tem maior qualidade e velocidade. Essa escalação trouxe dificuldade para o time de sair com a bola.

Aos 42 minutos do primeiro tempo, o árbitro marcou pênalti a favor do Palmeiras em disputa de bola entre Fred e Edu Dracena. Um pênalti que não aconteceu, foi apenas contato de jogo. Foi quando aconteceu o momento mais emocionante do jogo, afinal, a estrela de São Victor voltou a resplandecer e evitou que William abrisse o placar. Essa foi a segunda vez que Victor defende pênalti cobrado por William. O primeiro foi em Setembro de 2015 no clássico Cruzeiro e Atlético válido pelo Campeonato Brasileiro, o jogo terminou por 1 a 1, no estádio Mineirão, em Belo Horizonte.

No segundo tempo, Roger sacou Fred e Robinho. Valdívia estreou no lugar do Fred. Rafael Moura entrou no lugar de Robinho. Com a entrada de Valdívia; Otero e Cazares jogaram mais abertos e o time passou a criar mais. O passe de finalização precisa ser mais caprichado. A última alteração atleticana foi a entrada do Maicosuel no lugar do Otero. Será que foi o jogo de despedida dele? Será que vai para o São Paulo? Cenas dos próximos capítulos, “coming soon”…

Na próxima rodada do Brasileiro o Atlético encara o Avaí, às 19h30, no Independência. Temos certeza que nessa partida sairá nossa vitória e a arrancada rumo às primeiras colocações da tabela. Seguimos acreditando!

 

Hei, Galo!

Saudações Alvinegras!

#paixãodopovo

A culpa é de quem?

 

 

Na última manhã de domingo o Galo empatou em 2 a 2 com a Ponte Preta em casa. Sim, meus amigos, mais um tropeço em casa. O time estava totalmente desorganizado, desatento e sem qualidade.

No primeiro tempo, houve um controle maior do jogo pelo Atlético. Aos 36 minutos, Cazares lançou para Marcos Rocha e este deu um belíssimo passe para que Robinho finalizasse. Mesmo sem muitas inspirações ou grandes lances o Galo foi para o vestiário com vantagem no placar.

Já no segundo tempo, o apagão que antes vimos em jogos contra o Fluminense e Paraná voltou a acontecer. Em cinco minutos tomamos 2 gols. Aos 2 e aos 4 minutos Lucca entrou fácil na zaga e foi decisivo. Um absurdo. As falhas individuais atrapalharam todo o time. Adilson, que não fazia uma boa partida, paralisou diante do ataque da Ponte. Nem pra acompanhar a jogada… Logo em seguida foi substituído por Maicosuel, pois sentiu a coxa.

Aos 12  minutos, Rafael Moura entra no lugar de Cazares. Ainda assim o time não conseguiu chegar a área da Macaca. Robinho foi substituído por Otero aos 29 minutos e aos 35, Rafael Moura, de cabeça, empatou o jogo. E fala sério! Tomar pressão da Ponte no Indepa é inaceitável! Time que quer ser campeão não pode empatar com equipe de nível médio/baixo. A defesa está cada dia mais vazada, foram 7 gols em 3 jogos. Gols de pura desatenção.

As substituições realizadas pelo técnico Roger Machado não surtiram efeito. Adilson saiu machucado e provavelmente vai desfalcar o time nas próximas partidas. Seu substituto, Maicosuel, entrou mal. A saída de Cazares deixou a equipe sem criação. O equatoriano foi um dos melhores da equipe atleticana no domingo.  Ainda não vimos o estilo do Roger. Sabemos que a última partida mexeu com ele, pois deu um grito quando o Adilson dormiu no gol do adversário e mostrou nas suas entrevistas irritação com a postura do time. A equipe precisa se encontrar no campeonato Brasileiro e o técnico sacar uns caras que já estão precisam de banco já tem um tempo.

 

Hei, Galo!

Saudações Alvinegras!

#paixãodopovo

 

 

Galo decepciona no Horto

 

 

Em partida válida pela segunda rodada, o Atlético Mineiro perdeu para o Fluminense por 2 a 1 ontem no Indepa. O Galo desperdiçou boas oportunidades. Impressionante como o adversário soube aproveitar as falhas do elenco. O time não pôde contar com Robinho (cansaço muscular) e Erazo (suspenso).

O Atlético, diante de sua torcida, começou melhor, mas sem perigo ao gol de Diego Cavalieri. Como quem não faz leva, no primeiro tempo, Marcos Rocha fez pênalti em Richarlison, convertido por Henrique Dourado aos 34 minutos. Em seguida, nosso lateral direito falhou na marcação e Richarlison fez de cabeça. Marcos Rocha é um dos melhores jogadores do time e importante para o esquema tático proposto pelo técnico. O jogo em que ele não se destaca, como o de ontem, o time sente muito. Gabriel ficou sem marcação na batida do escanteio por Cazares e descontou para o time da casa numa cabeçada certeira. O primeiro tempo teve bom domínio do Galo apesar do resultado parcial favorável ao adversário.

No segundo tempo, o técnico Roger Machado substituiu Rafael Carioca por Maicosuel no retorno do intervalo. Essa mudança não surtiu efeito no elenco. Aos 15 minutos Roger tirou o Otero para a entrada de Rafael Moura.

Continuamos perdendo muitas chances. Fred, Elias e Maicosuel perderam gols inacreditáveis. O técnico escalou um time que dominou a partida, mas pecou nas finalizações. Sem muita inspiração. Diferente do Fluminense que aproveitou as chances que teve e converteu em gols. O Galo fez inúmeras tentativas em bolas aéreas. O total de cruzamentos errados chegou a 35. UAU!!!!!!!! Esses pontos perdidos em casa com certeza farão falta nas últimas rodadas do campeonato.  Como boas Atleticanas, acreditamos na melhora do time no Brasileirão.

Hei, Galo!

Saudações Alvinegras!

#paixãodopovo

 

 

Chora São Paulo

Depois de perder o campeonato Mineiro, o Cruzeiro, conseguiu resgatar a autoestima da torcida cruzeirense com uma bela vitória sobre o São Paulo.

Os dois times precisavam da vitória para marcar um início de campeonato com boas perspectivas.

Não foi dessa vez que o Vovô conseguiu derrubar a Raposa. Mesmo com domínio de posse bola o São Paulo chora diante do “Maior de Minas”, Ramon Ábila atento ao jogo marcou de canhota o gol da vitória.

Números da Partida:

Posse de bola: Cruzeiro 40% x 60% São Paulo

Finalizações: Cruzeiro 8 x 14 São Paulo

Chances reais de gol: Cruzeiro 4 x 5 São Paulo

Escanteios: Cruzeiro 5 x 5 São Paulo

Passes errados: Cruzeiro 44 x 37 São Paulo

(Fonte: Globo Esporte)
O Cruzeiro precisa melhorar muito para conseguir se equilibrar no Brasileiro, o próximo jogo será de muitas emoções contra o Sport em Recife dia 21/05/2017 às 19:00.

Bora trabalhar, Mano!

Apostinhas do Brasileirão

O Brasileirão começou no sábado e já estamos cheias de palpites. Pode ser que seja cedo, mas assistindo alguns jogos já temos candidatos para o G6 e Z4.

Palpites para o G6:

Posição Clube Justificativa
Atlético Mineiro

Desde 2012 o Galo tem ocupado boas posições na tabela do Brasileiro. O time está entrosado e conquistou recentemente o campeonato estadual. O coração alvinegro bate forte pra montar a lista então, Galão Campeão!
Palmeiras
Campeão do ano passado, o time conta, além do bom elenco, com o retorno do comandante Cuca.
Flamengo
Fortíssimo candidato a Libertadores (porque o campeão será o Galo). Time com jogadores experientes. Não sei se vai segurar as pontas de um longo campeonato sem um bom banco.
Santos
O time vem fazendo bons campeonatos nos últimos anos e quando joga em casa dá trabalho ao adversário.
Grêmio
Equipe com ótima qualidade técnica. Precisa acertar as finalizações.
CorinthiansA diretoria promete reforços nas próximas semanas. O Corinthians é um bom time e tem um elenco bom. Uma organização melhor pode aumentar o rendimento da equipe.

 

E agora o título indesejado, os piores do campeonato, vamos ao Z4:

 

Posição
Clube
Justificativa
17ªBahia

Apesar da goleada no Atlético-PR na primeira rodada não acredito que o time engrene.
18ªVasco
Time sem grandes peças. Fraco. Diretoria prometeu reforços após goleada contra o Palmeiras.
19ªAvaí
"Porque SIM Zequinha!"
20ªAtlético-PRPorque conseguiu levar uma goleada do Bahia na primeira rodada. E por estar, contando com esse, há 5 jogos sem saber o que é ganhar...

 

Saudações Alvinegras!

Galo estreia com empate em jogo acirrado no Maracanã

Charge: Duke e Henrique André

Em um jogo eletrizante, o Atlético Mineiro empatou em 1 a 1 com o Flamengo no último sábado no Maracanã diante 50 mil torcedores.

No primeiro tempo, o Atlético teve maior posse da bola, mas não deu trabalho ao Alex Muralha. Aos 23 minutos, Matheus Sávio abriu o marcador para o time da casa. O Flamengo chegou outras vezes, mas sem perigo para o goleiro Victor.

No segundo tempo, o técnico Roger Machado mexeu no time ainda no intervalo e substituiu Otero por Cazares. O equatoriano entrou inflamando o jogo e já na sua primeira participação, aos 56 segundos, quase fez um belíssimo gol que foi interceptado pelo zagueiro Rafael Vaz.

O Atlético entrou mais na área do Flamengo e aos 13 minutos Adilson tomou a bola no meio do campo, passou para o Fred que tocou para Elias empatar o jogo com um belo chute no ângulo.

Aos 34 minutos, Fred saiu para a entrada do Rafael Moura e Robinho para entrada do Maicosuel.

Após o empate, o Atlético cresceu no jogo e teve diversas oportunidades de virar o placar. O que teria feito se Carlos Cesar não tivesse machucado e o técnico realizado as 3 substituições. O Flamengo fez o “cai-cai” tentando segurar o placar. Uma falta chegou a demorar quase 3 minutos para ser cobrada para o rubro negro.

O Galo tem crescido a cada jogo disputado e o time está ficando com a cara do Roger Machado. O resultado foi ótimo. Porém a equipe sentiu falta do Marcos Rocha e seu substituto Carlos Cesar deixou a desejar, assim como seu colega Adilson. Um destaque para Felipe Santana que atuou muito bem ao lado do Gabriel. O Galo precisa de reforços para o meio e zaga. A zaga principalmente, pois o Leonardo Silva não tem sido escalado em todos os jogos. O segundo semestre será puxado com Libertadores, Copa do Brasil e Brasileirão e um bom banco será um diferencial. Com esses reforços e impondo ritmo no jogo o Atlético tem tudo para conquistar mais títulos.

 

Saudações alvinegras!