Virada da alegria

Com O show de Robinho, o Galo venceu de virada o clássico contra o Cruzeiro no último domingo. Apesar do equilíbrio do primeiro tempo, criamos muito pouco e saímos para o vestiário com o adversário na frente no placar.

O TIME voltou para o segundo tempo com outra cara e com sangue nos olhos. O técnico, Oswaldo de Oliveira, colocou Yago no lugar de Roger Bernardo. Roger Bernardo não fez um bom primeiro tempo, mas colocar o Yago, pra nós, não mudaria muita coisa. – E não é que eu estávamos erradas! – Yago marcou a saída de bola do Cruzeiro e já deu uma melhorada no time.

Aos dez minutos da segunda etapa, o técnico substituiu Valdívia por Cazares. E cinco minutos depois nascia o primeiro gol do Atlético de uma cabeçada do Otero! OLHA O GOL!

Fotos: Bruno Cantini / Atlético

E a estrela do Robinho brilhou tanto que despertou invejinha de vários sistemas solares. Aos 21, Robinho fez grande jogada na área, driblou seu marcador e chutou no canto para virar o placar no Mineirão. OLHA O GOL!

Fotos: Bruno Cantini / Atlético

Aos 35, Robinho cortou seu marcador e chutou colocado para fazer um golaço… inesquecível, Galo 3 a 1. – OLHA O GOL! –

Fotos: Bruno Cantini / Atlético

Robinho foi decisivo no clássico. O melhor em campo. Essa foi a melhor partida dele no ano. A gente fica se pergunta por que não teve essa regularidade durante o ano? O que nos faz pensar, afinal o ano já está chegando ao seu fim sobre sua recontratação. O contrato dele termina no fim de 2017 e achamos que só deveria renovar caso o Galo conseguisse uma vaga na Libertadores 2018 caso contrário não. Ele é um excelente jogador, mas tem um salário igualmente proporcional a sua semirregularidade no time. Se ele tivesse nos presenteado com mais exibições como as de domingo, com certeza o time estaria bem melhor colocado nas competições deste ano e iríamos querer revê-lo no elenco de 2018.

 

 

#VaiPraCimaDelesGalo

#paixãodopovo

Galo empata com o Palmeiras no Horto e deixa escapar o G6

Foto: Bruno Cantini / Atlético-MG

O Atlético empatou em 1 a 1 com o Palmeiras nesse sábado no Independência. Gols de Deyverson (Palmeiras) e Fábio Santos (Atlético). Esse empate, nós colocamos na conta do Rogério Micale. O Palmeiras estava jogando com 2 a menos que o Galo e não conseguimos a vitória.

E como estamos aqui para apontar o dedo na sua cara, Rogério Micale, vamos aos erros cometidos:

  • O Alex Silva sofreu pênalti  de Egídio aos 26 minutos do primeiro tempo. E quem foi bater? FRED?!… NÃOOOOOooo. Foi aí que o sr. Micale pecou. O batedor tinha que ser o Fábio Santos. E não me venha com esse papo de que o time tem dois batedores e que o primeiro tinha que ser o Fred, pois não cola não, meu querido! O Fred está numa fase tenebrosa e deixa-lo bater a penalidade não ajuda em nada.  Resultado? Vimos o Fernando Prass defendendo a cobrança do Fred.
  • Aos 12 minutos, o sr. Micale substituiu Adilson por Robinho. PQP MICALE! O Adilson foi um dos melhores no primeiro tempo, dominando o meio de campo. Então o técnico saca um volante e coloca mais um atacante. Virou uma bagunça.
  • Aos 22 minutos, outro erro: Cazares foi substituído por Yago. O sr. Micale resolveu retomar a formação inicial do jogo. Outro equívoco. Cazares, não vinha fazendo uma das suas melhores partidas, mas criou algumas jogadas. Foi quando o sr. treinador Micale perguntou para o Cazares se ele queria permanecer no campo, o jogador fez sinal de positivo para o comandante. Por que então foi substituído? Por que então o sr. treinador perguntou? WTF?  O técnico volta com o volante, Yago, mas de qualidade inferior. Afinal, Yago não é do mesmo nível do Adilson.
Foto: Bruno Cantini / Atlético-MG

O time voltou utilizar os chuveirinhos na área do adversário. Na falta de qualidade para adentrar tocando bola na área, o Galo voltou a utilizar o estilo de jogo que já se mostrou ineficiente. O juiz apitou muito bem. Marcou 3 pênaltis na partida. Dois para o Galo e um para o Palmeiras. Tivemos duas defesas, sendo a primeira do Prass e a segunda do São Vitor.

 

#VaiPraCimaDelesGalo

Saudações Alvinegras!

#paixãodopovo

 

Galo reage e vence a Ponte de virada

 

Após um longo e tenebroso inverno estamos de volta. De lá pra cá muita coisa mudou. Temos um novo técnico e o time tá com um cara nova. O técnico contratado é Rogério Micale e vai assumir o Galo até o final da temporada 2017.  Ele ficou na base do clube de 2009 a 2010 e de 2011 a 2015. No Galo, foi campeão das Taças BH de Futebol Júnior de 2009 e 2011, dos Campeonatos Mineiros Júnior de 2010 e 2012 e dos Torneios ICGT de 2011 e 2012. Os dados são do Galo Digital. Em 2015, Micale deixou o Atlético para treinar a Seleção Brasileira Masculina Sub20. Na seleção, conquistou ouro olímpico. Micale foi demitido após ficar na quinta colocação no Sul-Americano Sub20. Desde então, estava desempregado.

Bem, voltando ao jogo contra a Ponte, o Atlético entrou em campo no último domingo no estádio Moisés Lucarelli. O primeiro gol foi da Macaca aos 44 minutos do primeira etapa. A bola foi alçada na área, Leo Silva e Bremer não marcaram Leo Gamalho, Victor saiu mal na bola e o resultado foi o gol do adversário. O resultado parcial foi injusto, pois o Galo dominou o primeiro tempo e destaque pro Valdívia que criou muitas jogadas.

Fotos: Bruno Cantini / Atlético

 

No segundo tempo, a Ponte voltou melhor. Victor fez defesas inacreditáveis. Elias, no rebote, empatou para o Atlético aos 15 minutos. Aranha sendo Aranha. O goleiro da Macara fez um corte e a bola caiu nos pés do Elias, ex Ponte Preta, que não perdoou.

Rafael Moura foi substituído por Clayton,  aos 23 e Valdívia por Otero aos 31 minutos da segunda etapa.

Aos 43 minutos, Elias sofreu uma falta na intermediária. Bem de frente ao gol do Aranha. Otero cobrou e trouxe de Campinas a virada para o Atlético.

Fotos: Bruno Cantini / Atlético

 

#VaiPraCimaDelesGalo

Saudações Alvinegras!

#paixãodopovo

 

Galo vence de virada em Goiânia

Fotos: Bruno Cantini / Atlético

 

O Galo foi a Goiânia enfrentar o Atlético Goianiense no estádio Olímpico. Os donos da casa saíram na frente com o gol de Igor aos 23 minutos do primeiro tempo. O  alvinegro conseguiu o empate aos 13 minutos com Fred e a virada, aos 27, com Elias.

O jogo no primeiro tempo foi ruim demais. O radialista da Itatiaia, Mário Henrique, conhecido como “Caixa”, fez um comentário no final da primeira etapa que resumiu bem o primeiro tempo: ” Parece jogo de solteiro contra casado”. E foi bem assim.

O segundo tempo foi bem melhor. Roger Machado entrou com Mateus Mancini, no lugar do Bremer, que levou amarelo. Ele também tirou Marlone, que pouco apareceu na partida, e colocou Robinho. Essa mexida deu outra cara para o time. A entrada do Robinho deixou o Elias mais solto para criar jogadas. O primeiro gol do Galo nasceu nos pés do Cazares. É a 15ª assistência dele no ano. Joga muito esse menino!!!!! Após o empate, o time alvinegro dominou o jogo. Aos 39 minutos do segundo tempo, Cazares deu lugar ao estreante Gustavo Blanco – ex América.

Atribuímos a melhora do time contra o Atlético Goianiense à mexida do Roger. Agora o Galo tem dois jogos seguidos em casa. O primeiro será na quarta contra o Bahia e, em seguida, contra o Vasco. Com a vitória fora de casa o time vem confiante para melhorar os números no Horto.

 

#VaiPraCimaDelesGalo

Saudações Alvinegras!

#paixãodopovo

Atlético perde mais uma vez em casa para o Santos

 

Mais um desastre do time alvinegro diante da maravilhosa torcida. O Atlético Mineiro foi derrotado pelo Santos com gol do Daniel Guedes, acreditem!!! aos 48 do segundo tempo. *&$#@#

Onde está problema do time? No técnico? Nos jogadores? Ambas as opções. Uma certeza nós temos: não é na torcida! Que fez a sua parte torcendo e vibrando o tempo todo. Os jogadores têm qualidades individuais, mas quando estão juntos, não dão certo.  Nessa última partida faltou vontade, e quando isso falta, a técnica também desaparece. A sensação é que esse elenco joga quando quer. Assistindo o jogo sentimos a imensa falta de um jogador de referência, aquele que seria um maestro e quando percebemos que nem no banco temos esse jogador, bateu a bad. Que saudade do Luan, que na ausência da técnica, usa a raça. Vimos a torcida sair do Horto decepcionada, pois assistiu seu time do coração apático, constatando que o time não esforçou pra ganhar! Isso é doído, viu!

O time não engrena DE JEITO NENHUMMMMMMM. Uma irregularidade que assusta, pois temos um bom elenco e outras competições para disputar.

As três partidas que o Galo perdeu em casa: Fluminense, Atlético-PR e Santos; teve um número alto de cruzamentos. O time cruzou 57 vezes contra o Santos e acertou apenas 13 (22,8% de acerto). Esses adversários jogaram fechados, afinal o Galo TINHA moral no Independência. O time encontra grande dificuldade de penetrar nos adversários jogando pelo meio e a solução, que não deu certo, foi realizar os cruzamentos. E como mostram as estatísticas e placares, não deu resultado positivo. Os erros nas finalizações continuam gritantes. Fred desperdiçou a penalidade, bateu mal demais, com displicência e sem garra. *&$#@#

PS: Victor defendeu pênalti batido por Kayke e sem rebote. Esse cara é FODAAAAAA!!!!!

 

Domingo, o Galo jogará contra o Atlético Goianiense no Estádio Olímpico de Goiânia. Se em casa o alvinegro tem pisado na bola, jogando fora a campanha do Galo é a quarta melhor. Reage Galão! #EuAcredito #VaiPraCimaDelesGalo

Hei, Galo!

Saudações Alvinegras!

#paixãodopovo

 

Atlético amarga empate contra o Botafogo no Rio de Janeiro

Era uma noite para o Atlético sair com 3 pontos do Rio, mas o futebol não perdoa! Quem não faz, leva. E o time levou um gol aos 48 minutos do segundo tempo. Roger cobrou a penalidade e Victor defendeu. Mas no rebote, o próprio Roger empatou o jogo. E a culpa foi dos jogadores que não mataram o jogo quando tiveram oportunidade.

O jogo marcou o retorno do goleiro Jefferson ao time carioca. O Galo tomou conta da partida com boas jogadas de ambos os lados do campo, porém onde está a competência para colocar a bola no fundo do barbante?

Foto: Bruno Cantini / Atlético

Aos 22 minutos do primeiro tempo, Marlone recebeu um belo passe de Robinho, chutou de fora, no canto direito do goleiro e abriu o placar alvinegro. E foi só. Foram inúmeras chances de finalização desperdiçadas frente a frente com Jefferson. Não tiramos o mérito dele, é um bom profissional, defendeu um pênalti, mas os jogadores chutaram em cima dele (né possível uma coisa dessas!). Ele não precisou fazer nenhuma acrobacia para que a bola não entrasse.

Vendo de fora, um empate no Engenhão não é ruim. Mas foi. Um resultado pra deixar qualquer Atleticana chateada. Começando pelo pênalti desperdiçado por Rafael Moura. Que é um bom jogador, tem bom posicionamento em campo, [MASSSSSSSSSSS…] haviam jogadores mais indicados para cobrar o penal né? Colocaríamos o Robinho e achamos que ele deveria ter assumido a responsa (porém ele dá umas pipocadas, néh). E o técnico poderia ter gritado: “Robinhooooo, pode cobrar essa p&¨#@$ aí”. Outro ponto foi a incompetência do time de matar o jogo. Cazares foi fominha ao extremo. No lance, ele não finalizou, não tocou para o Fred que estava livre e ainda tentou cavar uma penalidade. Define ao lance pô! Essa atitude só prejudica o time (mesmo assim ainda te achamos bem regular nos jogos). Ah, na jogada que o Robinho perdeu o gol cara a cara; em seguida o adversário marcou o gol. Perdemos 2 pontos bobos. Em um campeonato com pontos corridos, não pode dar essa bobeira. Enquanto isso o Corinthians já abriu nove pontos do segundo colocado, o Flamengo.

Hoje o jogo é contra o Santos no Horto. Vamos buscar os 3 pontos e passar o peixe na tabela. #VaiPraCimaDelesGalo!

Hei, Galo!

Saudações Alvinegras!

#paixãodopovo

 

Galo vence o clássico contra o Cruzeiro no Horto

Foto: Bruno Cantini / Atlético

O Atlético Mineiro ganhou, de virada, o clássico, por 3 a 1, no Independência no último domingo. O Galo perdeu o capitão Leonardo Silva, dando um susto na torcida logo no início do jogo. O zagueiro sentiu e foi substituído por Bremer. Logo após a saída do capitão, Thiago Neves abriu o marcador para o Cruzeiro, aos 5 minutos do primeiro tempo. E quase ampliou em seguida, numa cobrança de falta defendida por Victor. O adversário dominou os 20 minutos iniciais, o jogo era tenso, o juiz precisou chamar os capitães dos times para acalmar os ânimos , era reclamação de ambos os lados. O técnico Roger Machado, percebendo o buraco formado no meio de campo, adiantou Roger Bernardo, distanciando assim do Bremer e Gabriel. Desta forma, o Atlético foi tomando o controle e crescendo na partida. Aos 47,  Cazares, em uma bela cobrança de falta, empatou a partida. E Fred, aos 49, balançou as redes após um belo cruzamento de Alex Silva. Viramos ainda no primeiro tempo!

Foto: Bruno Cantini / Atlético

A segunda etapa do jogo foi mais equilibrada e menos tensa que na primeira. O Galo administrou a vantagem do placar. O adversário não conseguiu mostrar bom desempenho como no início do primeiro tempo. O time de Roger Machado se fechou e aproveitou os erros do rival em contra ataques perigosos. Foi em um desses que o Galo marcou o seu terceiro gol. E quem marcou de novo? FREDDDDDDDD. ELE NÃO PERDOA.

E no fim da partida, o que acontece? O quê? O jogo é paralisado por dez minutos devido a falta de iluminação no estádio. Será que o Kallil estava nos arredores do Indepa? kkkkkkk… Acho que não. E foi aí que vimos uma das cenas mais lindas dessa torcida. Todo mundo cantando, vibrando, com as luzes dos celulares acesas. A torcida deu um show e não só nesse momento, e sim o jogo inteiro. Empurrou o time mesmo quando o placar não era favorável. Essa sim, é a torcida que conhecemos.

Foto: Bruno Cantini / Atlético

Todos os jogadores entraram concentrados no clássico, mas vale ressaltar dois: Cazares e Fred. Do primeiro somos suspeitas de falar, somos fans demais, o “menino” joga fácil. Ele vem crescendo em campo novamente e é decisivo. Já o segundo, no meio de semana, foi expulso em partida contra Botafogo pela Copa do Brasil. Não faz isso com a gente não Fred! 🙄  Você é o nosso centroavante, pô! Voltando ao clássico do domingo, ele foi essencial no resultado positivo do time.

Enfim, ELES TREMERAM DE NOVO!

 

#VaiPraCimaDelesGalo

Saudações Alvinegras!

#paixãodopovo

 

Galo vence São Paulo no Morumbi e busca sequência de vitórias

Foto: Bruno Cantini / Atlético

O Atlético derrotou o São Paulo ontem no Morumbi por 2 a 1. Cazares e Rafael Moura marcaram e deram a vitória ao alvinegro. O time de Roger marcou bem as saídas de bola do adversário. Não é fácil vencer o São Paulo em casa.

No esquema proposto por Roger, os dois volantes ficaram mais presos, Elias pode ficar mais solto e mais à frente. Cazares fica por conta de armar as jogadas e Robinho mais próximo ao centroavante. Por falar em Cazares, foi ele que abriu o marcador no Morumbi. Gostamos muito do futebol dele. O rapaz joga muito e fácil e bem. Se ele concentrar, vai ter regularidade nos jogos e será titular com certeza. Somos fans desse cara.

Outro destaque na partida foi o jogador Alex Silva, ele marcou firme e mostrou habilidade em alguns lances. Foi um dos responsáveis por desarmar o São Paulo e impedir que ampliassem o placar.

Não podemos esquecer do Rafael Moura, nosso He-man, responsável pelo segundo gol alvinegro. Não podemos dizer que foi o melhor jogo dele, mas mostrou muita raça em campo. Esse é o diferencial: o amor pelo Galo. No lance do segundo gol também teve a participação do nosso querido Luan. O Luan entrou pilhado, esse é atleticano, dá gosto de ver a vontade desse garoto. Ele entra 100% ligado. XÔOOOOO LESÕES!!!!

O Atlético segue menos pressionado para o jogo dessa quarta-feira, amanhã, no Horto, contra o Sport. Mas ainda precisando dessa estabilidade de vitórias em jogos com times menos talentosos. Vamos embalar GALO!

Saudações Alvinegras!

#paixãodopovo

Noite dos horrores no Horto

Acabou a paciência da torcida com esse elenco. Foi a segunda derrota seguida para o lanterna do Brasileirão. No último domingo foi contra o Vitória, em Salvador, o então último colocado na competição. Nada justifica a derrota por 1 a 0 para o Atlético Paranaense no Independência. A torcida apoiou até os 44 minutos do segundo tempo quando Felipe Santana cabeceou para atrás entregando a bola nos pés do Sidcley, que terminou com a bola no fundo do barbante. O lance lembrou bastante o erro do Felipe Santana no primeiro clássico no Campeonato Mineiro desse ano contra o Cruzeiro, que acabou com o gol do Arrascaeta.

O Galo entrou em campo desfalcado, mas os outros jogadores têm obrigação de entregar-se 100% ao jogo. Ontem vimos um time preguiçoso, sem qualidade e desconcentrado. Engraçado, vários jogadores do Galo estão sendo poupados por desgaste, mas esse problema seria apenas aqui!? Não vejo Corinthians, Grêmio ou Chapecoense fazendo isso.

Com um jogador a mais desde os 39 minutos do primeiro tempo, o Galo pouco criou e se mostrou melhor no primeiro tempo. O time começou a abusar dos cruzamentos na área, completo desespero, foram, ao todo, incríveis 55. O Atlético Mineiro é líder em cruzamentos errados, no Campeonato Brasileiro são 179, segundo os números do Footstats.

Nós queríamos que o Leonardo Silva entrasse na fonte da juventude pra poder jogar mais uns bons anos no Atlético. Ele não tem dado sorte com os companheiros de zaga, e nem com seus substitutos. Esse cara joga muito.

Sentimos falta do Elias mais solto e mais a frente. O Marlone….o Marlone…. péssimo dos péssimos (by Lélio Gustavo). Robinho, você é o cara, você tem que organizar esse time em campo, chamar a responsa, puxar orelha dos seus colegas. O Fred faz um pouco isso. Robinho é decisivo e joga muito mas muito mais do que apresenta.

Otero tinha que começar jogando. Por que ele no banco? Ele tem um chute potente. É um diferencial em um time que só sabe cruzar. Rafael Carioca está completamente instável. Em alguns jogos, ele manda muito bem, e outros, nem parece estar em campo. Felipe Santana… ah Felipe…. você disse que não se abala não é!? Abalamos antes mesmo do jogo começar, quando vemos seu nome na escalação. Abalamos pelo Léo Silva, por ter um companheiro de Zaga tão ruim. Abalo por ter perdido 3 pontos em casa e abalo por estar na zona de rebaixamento. Abalo também ao ouvir você tentar dividir seu erro com outros jogadores, neste caso, o Thalis.  (Os comentários no singular pertencem à Jacque, pois eu, Ju!, me encontro anestesiada).

E por último, mas não menos importante, o nosso técnico Roger. Que escalações bizarras. Roger tem potencial pra muito mais. Insiste na escalação de alguns jogadores que não rendem em campo. Isso de poupar também não rola. Jogador tem que jogar. Calendário é apertado sim, mas pelo salário e prestígio todos devem estar em campo.

O melhor elenco nós temos só falta apresentar o melhor futebol.

Hei, Galo!

Saudações Alvinegras!

#paixãodopovo

 

 

 

Galo segue sem vencer no Brasileirão

 

Foto: Bruno Cantini / Atlético

Em um jogo equilibrado o Atlético empatou com o Palmeiras em 0 a 0 no estádio Allianz Parque, em São Paulo. Empatar com o Palmeiras e Flamengo não é um resultado ruim, ainda mais sendo esses times mandantes. São equipes fortes e candidatos ao título mesmo que não ocupem no momento as primeiras colocações. O problema foi perder para o Fluminense e empatar com a Ponte Preta ambos em casa.

Roger não pode contar com Marcos Rocha, Elias e Adilson. Na lateral colocou Alex Silva. Ele mandou bem! Jogou seguro e marcou bem o adversário. No meio, Roger entrou com Rafael Carioca, Yago, Otero e Cazares. Essa composição do meio de campo deixa muitos espaços vazios e cai um pouco a qualidade. Nessa hora, bate uma saudade do Elias… Ele cobre esses espaços, tem maior qualidade e velocidade. Essa escalação trouxe dificuldade para o time de sair com a bola.

Aos 42 minutos do primeiro tempo, o árbitro marcou pênalti a favor do Palmeiras em disputa de bola entre Fred e Edu Dracena. Um pênalti que não aconteceu, foi apenas contato de jogo. Foi quando aconteceu o momento mais emocionante do jogo, afinal, a estrela de São Victor voltou a resplandecer e evitou que William abrisse o placar. Essa foi a segunda vez que Victor defende pênalti cobrado por William. O primeiro foi em Setembro de 2015 no clássico Cruzeiro e Atlético válido pelo Campeonato Brasileiro, o jogo terminou por 1 a 1, no estádio Mineirão, em Belo Horizonte.

No segundo tempo, Roger sacou Fred e Robinho. Valdívia estreou no lugar do Fred. Rafael Moura entrou no lugar de Robinho. Com a entrada de Valdívia; Otero e Cazares jogaram mais abertos e o time passou a criar mais. O passe de finalização precisa ser mais caprichado. A última alteração atleticana foi a entrada do Maicosuel no lugar do Otero. Será que foi o jogo de despedida dele? Será que vai para o São Paulo? Cenas dos próximos capítulos, “coming soon”…

Na próxima rodada do Brasileiro o Atlético encara o Avaí, às 19h30, no Independência. Temos certeza que nessa partida sairá nossa vitória e a arrancada rumo às primeiras colocações da tabela. Seguimos acreditando!

 

Hei, Galo!

Saudações Alvinegras!

#paixãodopovo